Agência de sites, lojas online e marketing. É Dix :)

Contrate agora Nossos planos | Fale conosco

Conquistar ou ganhar a primeira página do Google ?

02/07/2014
Aparecer na principal página do Google entre os dez primeiros colocados e logo abaixo dos anúncios é o desejo de todos, especialmente de quem está ali para vender ou oferecer algum tipo de serviço. A exposição e agilidade na busca também são importantes para o consumidor. Mas para ficar bem na tela é necessário cumprir uma série de regras exigidas pelo buscador líder da Web e cujos algoritmos estão ficando mais rígidos.

Em maio, foram anunciadas atualizações importantes nessas ferramentas de posicionamento de sites, priorizando conteúdos mais relevantes e renegando a manipulação de palavras-chave que tentam enganar não só o Google mas também o internauta.

A verdade é que o robô do buscador está mais inteligente e aperfeiçoado para detectar quem está enganando e manipulando resultados. Os macetes antigos funcionam cada vez menos, alertam os especialistas. O Google usa mais de 200 variáveis em seu algoritmo para posicionar um site, e isso inclui palavras-chave, links que apontam para essa página, a qualidade dos links, arquitetura da informação, entre outros.

Uma das mudanças anunciadas pelo chefe da equipe de qualidade de buscas da empresa, Matt Cutts, foi a atualização da ferramenta Panda (4.0), responsável por classificar os sites com base nos conteúdos. Com a nova versão, o Google quer eliminar do ranking Top 10 sites ou blogs de pouco interesse e de baixa qualidade e privilegiar aqueles com informações úteis, evitando spam, links duplicados e manipulação de resultados.

A primeira versão do Panda foi lançada em 2011, e já naquele ano muitas empresas foram penalizadas e despencaram no ranking, afirma Bruno Nardon, diretor de Marketing da Kanui, e-commerce de artigos esportivos. A Kanui está entre as primeiras posições porque atende às novas exigências e adota práticas de otimização de buscas como o SEO (SearchEngineOptimization).

Queda do ebay

Segundo Raphael Simoni, analista de SEO da Conversion, com 30 clientes no País, o Google está aperfeiçoando a busca orgânica, aquela cujos resultados são relevantes sobre o produto desejado e não só preço ou características. Isso inclui conteúdos editoriais sobre a empresa, mercadoria ou serviço, textos adicionais, algumas informações que enriqueçam a experiência do usuário, como a criação de aplicativos relacionado ao site ou ao artigo vendido, páginas com fotos e descritivos fáceis de serem encontrados, comparações.

Simoni cita o exemplo de uma marca de chuteira que pode agregar conteúdo dizendo que é a mesma usada pelo jogador Neymar ou oferecer outros modelos similares. Mas se a loja usar a palavra “chuteira” no rodapé, nas imagens e no menu do site e de forma abusiva, corre o risco de ser punida, pois o Panda 4.0 pode entender que não se trata de conteúdo natural em benefício do consumidor, mas manipulação da empresa para aparecer em primeiro lugar. Estudos de comportamento de internautas informam que 73% deles preferem clicar num resultado de busca orgânica do que em links patrocinados.

O analista de SEO da Conversion lembra que uma das principais vítimas do Panda 4.0 foi o gigante de e-commerce eBay (em sua versão em inglês), que, historicamente, representava 1% dos Top 10 do Google, ou seja, estava em todas as pesquisas que aparecem nos 10 primeiros lugares. E isso não é pouco. Pois, com o algoritmo novo esse posicionamento foi prejudicado e teve uma queda de 70% nas buscas por palavras-chave que levam ao site do eBay. “O principal motivo para esse desempenho foi o excesso de conexões (ou “linkagens” ) internas de palavras-chave relacionadas aos itens vendidos ali, uma forma encontrada pelo eBay de posicionar milhares dessas palavras mas sem beneficiar o usuário. “O Google considera que houve uma tendência manipulativa com essa tática, uma espécie de spam”, avalia Simoni. Mas esse posicionamento tende a ser temporário, à medida que a empresa conseguir adaptar seu portal às novas estratégias.

Conteúdo relevante

Segundo e-mail da assessoria de imprensa do Google, que não dá entrevistas sobre o assunto, “o Panda 4.0, afeta diversos idiomas e em diferentes graus. E, em inglês, por exemplo, o impacto é de aproximadamente 7,5% das consultas”. A empresa oferece a webmasters e às empresas ajuda e aconselhamento gratuito sobre as melhores práticas no seu site http://www.google.com/webmasters/.

Nardon, da Kanui, observa que investir em SEO, “um canal de marketing digital de custo relativamente baixo, é de extrema importância, principalmente em sites de vendas, pois garante uma ótima visibilidade e um tráfego qualificado”. Além disso, os consultores de SEO são especialistas no assunto e estão mais familiarizados com os algoritmos e robôs de buscadores como o Google, Bing e Yahoo! Mas, os resultados costumam aparecer no longo prazo, com flutuações de ranking semanais.

Uma das razões para o e-commerce Caçula de Pneus estar entre os 10 primeiros colocados no buscador é o uso adequado desses mecanismos de otimização cujos serviços auxiliam o consumidor na hora de trocar a peça do carro.

A loja virtual representa 40% do faturamento da empresa (que tem 30 unidades físicas em São Paulo), e além da venda de pneus foi criado um aplicativo para iPhone com funções para pesquisar preços, calibragem, agenda da troca de óleo, lojas mais próximas e dados de consumo de combustível. “Utilizamos palavras relacionadas ao nosso negócio (pneus, aro, calibragem) e geramos conteúdos relevantes, e é isso que o Google estimula, precisamos ser semânticos e orgânicos nas buscas e respostas”, diz Renato Roschel, diretor de e-commerce da Caçula.

Outra atualização importante foi a da ferramenta PaydayLoan 2.0, com foco específico em sites oferecendo empréstimos/crédito. Segundo Matt Cutts, havia muitas reclamações dos usuários (especialmente na Inglaterra) para buscas com essas duas palavras (o termo paydayloan refere-se a empréstimos ou adiantamento de parte do salário para a quitação de dívidas).

As pesquisas induziam o internauta (que queria fazer um empréstimo) a clicar em URLs duvidosas, trazendo resultados irrelevantes e spam. “Alguns links dessa categoria, mesmo no Brasil, não têm nem telefone, endereço ou material institucional da empresa que está oferecendo o empréstimo”, diz Simoni, da Conversion. As empresas sérias relacionadas a esse assunto precisarão aperfeiçoar seus sites, as outras, com atitudes enganosas, devem ser punidas pelo buscador, afirmam os analistas. Existem diferentes graus de punição, desde aquelas que impedem os sites de aparecerem na primeira página até as mais severas com a desindexação no ranking (eles somem do buscador).


Fonte Diário do Comércio




Agência Dix

Rua Cravinhos, 384

14090284

+55 16 3443-011

photo Dix - Agência de sites, lojas online e marketing - Ribeirão Preto
Work:
Rua Cravinhos, 384
Ribeirão Preto,SP   14090284
Work:+55 16 3443-011
Recepção Online
Pressione Enter para enviar a mensagem. finalizar